Tecido Jacquard: onde, por que usar e mais! - Lartex

Tecido Jacquard: onde, por que usar e mais!

Moda e arquitetura sempre tiveram uma ligação muito próxima. Não é à toa que, muitas vezes, o que vemos nas passarelas é inspiração para a criação de objetos de decoração. E isso não se restringe aos conceitos: cores e texturas também entram nessa conta. Tanto é, que o tecido jacquard é fonte de inspiração no mercado de design mundial.

Por isso, neste post, mostraremos um pouco mais sobre esse material. Onde ele surgiu, como pode ser usado e quais as diferenças do tecido jacquard para a estamparia: confira as respostas a seguir!

A origem do jacquard

O tecido jacquard é uma invenção do final do século XVIII. Ele foi criado pelas mãos de um mecânico têxtil chamado Joseph Marie Jacquard — daí a origem do nome —, que utilizou um sistema totalmente automatizado, programado por cartões perfurados, os quais davam o comando de entrelaçamento de fios, dando origem à padronagem selecionada.

Foi uma novidade para aquele tempo, já que o sistema era algo moderno. Antes dessa invenção, os desenhos complexos eram feitos apenas manualmente por tecelões. Com o surgimento do tear automático, nasceu a possibilidade de criar tecidos não só mais resistentes, como também de beleza única, em escala industrial.

Essa mudança proposta por meio da tecnologia que Joseph Marie Jacquard desenvolveu foi um grande marco, pois tornou possível usar com maior frequência esse método de produção, agilizando processos.

Além disso, o custo da produção do tecido jacquard, em relação à mão de obra, se tornou menor, já que menos pessoas eram envolvidas no processo. Outro benefício importante que esse tear propôs foi a redução de falhas, já que o processo automatizado era capaz de reproduzir padronagens complexas — o que era muito difícil aos profissionais.

O desenvolvimento do conceito do Jacquard

Muito se fala que os teares de produção de Jacquard foram os precursores dos computadores, já que o sistema utilizado — binário — foi o que deu origem às máquinas que usamos hoje. Essa linha de pensamento deixa claro como Joseph foi inovador, aplicando a tecnologia em uma época em que os processos manuais eram o único recurso.

De lá para cá, as máquinas evoluíram e, atualmente, todo o comando é automático, através de softwares específicos que alimentam as informações nos teares. Os desenhos não são mais feitos à mão, nem precisam ser convertidos para cartões perfurados. Estes são feitos por designers diretamente no computador e salvos nos teares via wi-fi.

Com essa possibilidade, a produção se tornou mais rápida, já que essas informações emitidas pelos computadores podem ser reenviadas quantas vezes forem necessárias para que os teares modernos confeccionem as peças em larga escala, o que, comercialmente, foi um grande avanço

Apesar do investimento com os computadores e equipamentos modernos que possuem um custo maior, a produção em si precisa de menos pessoas envolvidas, então há uma redução no custo, de um modo geral.

Essa modernização também facilitou o trabalho do designer, que pode ter mais liberdade nas criações, sem nenhum tipo de restrição mecânica. Isso permite que seja entregue ao mercado mais opções de padronagens, com estéticas modernas e sofisticadas.

Com cada vez mais avanços no setor tecnológico aplicado ao mercado têxtil, o tecido jacquard segue evoluindo para entregar padronagens cada vez mais complexas e bem trabalhadas. As estampas possíveis são inúmeras, com detalhamentos ainda melhores. A trama do tecido também evoluiu, sendo ainda mais fechada e resistente, o que oferece grandes benefícios em relação à resistência e ao não acúmulo de sujeira.

As especificidades do tecido jacquard

No tecido jacquard, os desenhos e texturas são formados pelo entrelaçamento individual dos fios de urdume (que são aqueles que vão conferir a largura e a base do tecido) e trama. Por ser individualizado, é possível tecer mínimos detalhes com a inserção de fios coloridos, dando origem a quadros de fotografia, tapetes, gobelins, brocados etc. Os desenhos podem ser muito ricos tanto em design, quanto em estrutura e cores.

Como, normalmente, o jacquard é fabricado com fios tintos, a durabilidade em relação à cor é superior a de todos os outros tecidos.

As múltiplas possibilidades trazem benefícios para o jacquard e o torna um dos preferidos para a decoração de interiores, já que possui um alto valor percebido de qualidade e design.

Os valores

Devido a sua maior complexidade de produção e pelo seu nível avançado de detalhamento, o tecido jacquard pode acabar tendo um preço mais elevado do que os materiais tradicionais. O metro não sai, atualmente, por menos de R$ 60, podendo variar e chegar na casa dos R$ 150, dependendo do detalhamento das padronagens.

O jacquard na decoração

Seja em almofadas, cortinas, sofás, poltronas, bancos, colchas, o tecido jacquard pode ser aplicado em diferentes elementos de decoração, conferindo sofisticação ao objeto — além de muito estilo.

Apesar de ter sido criado há séculos, o jacquard é um dos preferidos na hora de dar um toque moderno ao ambiente. Isso porque os desenhos formados conferem charme e personalidade, além de serem fáceis de combinar.

Nas almofadas, por exemplo, o tecido jacquard pode aparecer revestindo o objeto e decorando um sofá mais simples, dando um toque de personalidade ao cômodo. O mesmo pode acontecer nas cortinas, que muito comumente recebem os detalhes do tecido em sua estrutura.

Para os quartos, as colchas de cama também podem ser em jacquard, desde padronagens mais simples e sóbrias até estampas mais elaboradas. Outro local interessante para uso do jacquard é nas paredes dos lavabos, proporcionando um ar mais luxuoso e sofisticado ao local.

Além disso, o jacquard pode revestir sofás inteiros, o que faz com que o móvel ganhe em conservação — sendo muito mais fácil higienizar esse tipo de material, que não acumula tanta sujeira.

Há também boas opções de poltronas em jacquard, que trazem destaque para cômodos que prezam por uma decoração mais minimalista. Com esse item é possível trazer vida e dar personalidade a qualquer lugar.

As diferenças entre a estampa e o jacquard

Ainda existem muitas dúvidas em relação às diferenças entre estes tecidos. No caso do jacquard, os desenhos são formadas pelos fios entrelaçados, ou seja, o próprio tecido forma as padronagens. Na estamparia, isso é diferente, pois temos um tecido “em branco” que recebe uma estampa via transferência de calor, pressão ou impressão. Esta estampa é superficial, pois só se encontra em um lado do tecido plano.

Uma dica pra saber se o tecido é estampado ou não é observar o avesso. Se for jacquard, percebe-se logo os vários fios sendo entrelaçados também no avesso, formando o desenho, já nos estampados, o desenho não consta no lado avesso, somente no lado direito. Logo, a durabilidade e resistência é notável entre um e outro.

Se deseja um material resistente, de beleza única e, ao mesmo tempo, sofisticado e elegante, o tecido jacquard é a melhor opção. Ele é bastante versátil e pode ser aplicado em várias peças de decoração da casa, o que permite criar uma harmonia no ambiente, dando sua personalidade à escolhas.

Gostou das nossas dicas? Acompanhe-nos no Facebook, Linkedin e YouTube e fique por dentro de todas as nossas novidades!

Se você gostou do nosso artigo e das curiosidades que apresentamos, e quer investir em tecido jacquard e peças únicas para a sua loja, entre em contato conosco e conheça as opções da LARTEX!

Cadastre-se para receber as nossas novidades

Deixe um comentário

Share This